DIY: Transforme um souvenir em quadro para decorar a casa com boas lembranças

Há várias maneiras de colocar aquela importante relíquia de um momento especial, que você guarda com todo amor e carinho, exposta como uma obra de arte na sua parede. Pode ser o primeiro desenho do seu filho, uma flor que você ganhou de alguém especial e que deixou secar no meio de um livro (alguém ainda faz isso? é uma técnica ótima e daria um belo quadro!), um tecido, como um lenço comprado naquela sua viagem inesquecível. Enfim, há tantos souvenirs que podem virar uma peça única em uma instalação artística particular: a nossa casa. No meu caso, eu transformei um souvenir de viagem em quadro. Não queria o meu achado guardado em uma caixa. Ele deveria estar sempre com a gente, no dia a dia, no viver dentro de casa. É tão bom olhar diretamente para pedacinhos “vivos” dos bons momentos que nós passamos. E é exatamente isso que esta memorabilia representa pra mim.

Eu encontrei este pesinho de pesca na areia da Praia Vermelha, no Rio de Janeiro. A viagem pra lá significou muito pra mim e para o meu marido. E fui encontrar justo nesta praia que fica no bairro da Urca, pelo qual eu já era apaixonada antes mesmo de conhecer pessoalmente. Quando chegamos lá havia somente um casal, com seu guarda-sol e seu cachorro, tomando chimarrão (o casal, não o cachorro) e aproveitando a praia quase exclusiva. Então nós ficamos contemplando aquele cenário e fazendo planos pra nossa vida. Ao mesmo tempo em que sentíamos aquela gratidão por conseguirmos fazer uma viagem tão bacana. Sabe quando passa aquele filme na cabeça de todo o teu trabalho e esforço pra conseguir as coisas que tu quer? Então, esse pesinho tem um peso significativo na nossa vida. Guarda muitas coisas. Por isso ele merece ficar juntinho da gente, à vista, decorando e deixando nossa casa mais linda.

Então, prepare suas memórias e se liga nesta dica de decoração faça você mesmo que pode servir para o seu souvenir querido do coração também.

M A T E R I A L :

– Caixa de MDF. Encontrei em uma loja de materiais para artesanato.

– Ganchinho para pendurar. Encontrei em uma ferragem. Há vários tipos, como aquelas plaquinhas com dentinhos. Eu escolhi o da foto, com um triângulo. Ele veio com preguinhos mas preferi colar do que correr o risco dos pregos passarem para o outro lado, ou marcarem o MDF, fazendo volume. Medo.

– 2 “L”s de metal. Encontrei em uma loja de molduras. A atendente me aconselhou a colocar 4, um em cada lado do quadro, mas achei que ia pesar no visual e não me permitiria retirar o vidro quando precisasse.

– Tinta branca que eu já tinha em casa. Era uma que cobria até metal. Use da cor de sua preferência, que mais tenha a ver com a decoração da sua casa e com o seu souvenir.

– Pincel. O meu tem 19mm. Você pode usar o que estiver mais acostumado: tinta spray, rolinho, pincel mais largo etc.

– Vidro no tamanho da caixa. Mandei fazer em um vidraceiro na menor espessura, para não pesar tanto – tendo em vista que o meu souvenir é um peso de verdade, não queria que a peça como um todo ficasse pesada, uma vez que muitas partes seriam coladas. Se quiser um vidro anti-reflexo, é uma escolha sua. Fica ótimo, porém, mais caro.

– Fio de nylon ou linha de pesca.

– Super cola.

– 1 percevejo.

– Martelo.

P R O D U Ç Ã O :

1. Pintar a caixa: Apliquei 3 demãos até cobrir como eu queria, respeitando o tempo de secagem entre uma e outra para não arrastar a camada anterior quando fosse aplicar a seguinte. Não pintei a parte de trás porque não quis gastar 3 demãos numa área que nunca será vista. Se você tem TOC e não consegue dormir à noite sabendo que seu quadro está com uma cor diferente na parte de trás, pinte! Mas saiba que todos os outros quadros, mesmo aqueles que a gente compra prontos, têm versos diferentes do que se apresenta na frente. Só pra lembrar 😉

2. Pintar o percevejo: Pintei também de branco porque queria que ele sumisse visualmente no quadro. Deixei secar.

3. Colar o gancho para pendurar: Colei com a super cola, nas costas do quadro, o gancho para pendurar, lembrando que o prego na parede deve ficar escondido atrás do quadro, ou seja, tive de colar o gancho mais abaixo do topo do quadro. E bem no meio do comprimento da largura! Ou ele ficaria torto. #naoqueremos #dejeitonenhum

4. Amarrar o nylon: Medi o fio de nylon de acordo com a altura que eu queria que ficasse suspenso o meu souvenir. Eu não quis que ele ficasse exatamente no meio do quadro. Parece muito arranjadinho pro meu gosto, e também queria reforçar a característica de peso do pendente. Por isso deixei ele mais para baixo. Então, amarrei uma ponta do fio no peso e com a outra eu dei algumas voltas ao redor da ponta do percevejo.

5. Colar nylon e martelar o percevejo: Apliquei a super cola no nylon enrolado no percevejo para fixar tudo e evitar que escape. Depois de secar e colar meus dedos junto, passei mais cola no percevejo e o fixei no centro da largura da borda que escolhi para ser a parte superior do meu quadro. Algumas batidinhas com o martelo facilitam o processo. Retoquei a tinta onde as marteladas deixaram marcas, tanto no percevejo quanto no MDF.

6. Fechar: Com o quadro deitado, posicionei o vidro na frente e colei os Ls de metal, ambos posicionados, mais uma vez, no centro da largura do quadro. Eles vêm com furos para que sejam aparafusados, mas não quis correr o risco do parafuso estragar o MDF, “mascando” o material ou até furando o outro lado. Ainda dessa forma, colada, dá pra remover o vidro deslizando ele sobre a superfície da caixa. Isso é importante para futuras limpezas necessárias.

I M P O R T A N T E :

1. Deixei o quadro deitado, secando tudo por umas 24 horas, no mínimo, antes de pendurar.

2. Seu souvenir pode ser colado, por exemplo, no centro da caixa, em vez de pendurado, dependendo do que ele seja. Adapte o quadro para que valorize a sua peça memorável.

3. Se fizer mais o seu estilo, os Ls, por exemplo, podem ser dourados em vez de prateados. Você pode já comprar assim ou pintar.

4. Em todo o processo eu cuidei para o peso não estragar a pintura do quadro, mantendo ele fora do quadro, apoiado sobre um paninho limpo e seco. Pode ser até um saco plástico amassado.

5. A cola sai da pele viu, gente. Há aquele pânico inicial misturado a um sentimento de Chaves que fez coisa que não devia, ao ver seus dedos todos colados. Mas a cola vai cristalizando na medida em que vai secando, e ela “quebra” e vai soltando. No dia a dia, lavando uma louça, uma roupa, escovando um box de banheiro, a cola sairá por completo. Pode crer. E sua casa ficará um brinco!

Poderia ter feito um desenho, ou usado cores que remetessem ao mar? Poderia. Poderia colocar as várias conchinhas que trouxe das praias do Rio para amontoá-las na base da caixinha? Poderia. Mas fazer coisas óbvias não é a minha. Eu quis aqui criar uma “casa” completamente diferente do habitat do peso de pesca, isolando totalmente o souvenir do seu contexto, dando destaque para o que ele representa, e não para o que é, e ao mesmo tempo valorizando suas texturas e a ferrugem – que eu adoro.

Espero que tenham gostado e se inspirado a trazerem suas lembranças pra mais perto de vocês. Souvenirs são ótimos decoradores. Usem e abusem deles.

E agora eu quero saber: quais memorabilias decoram a casa de vocês? Não deixem de contar nos comentários.

Fotos: Juciéli Botton para Casa Baunilha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *