Abram alas para elas

Cortinas. Pois é, aquelas de longa data, feitas de tecido escolhido a dedo e que conversam obscenamente com o ambiente quase não se vê mais. Os alérgicos que não nos ouçam, mas elas são charmosas demais, e em muitos casos podem ser as grandes responsáveis pelo toque final na decoração da sua sala, quarto, cozinha… Elas são sinônimo de aconchego e escondem aquela janela feia que a gente não vai trocar tão cedo, suavizam o ambiente com cores neutras ou fazem gritar a cor que vai levantar o nosso astral.

Vamos às indicadas. Tem até na área de serviço!

E a vencedora é… aquela que estiver de acordo com as medidas. Seguem algumas dicas simples e básicas:

Altura ideal

Não instale o varão logo acima da janela. Se ela for baixa isso fará o pé direito diminuir. O correto seria instalar no meio da distância entre o teto e a janela.

Efeito sala grande

Quer mais sensação de amplitude? Instale a cortina o mais alto possível. Existem modelos que são diretamente fixados no teto.

É visível a diferença: cortinas que ocupam a altura da parede ampliam o ambiente.

Comprimento certo

Não deixe a cortina arrastar, ela deve encostar levemente o chão, facilitando a circulação e evitando o acúmulo de poeira. O caimento deve ser leve.

Tecido perfeito

Verifique se é resistente ao sol, pois alguns podem desbotar. Os transparentes são ideais para ambientes escuros. Os encorpados amenizam a claridade excessiva. As cores lisas são fáceis de combinar com outros elementos. Já os estampados devem estar dentro da proposta de decoração do ambiente.

Eu fiquei animada pra colocar aqui em casa uma de tecido leve e bem comprida, até o teto. Sem contar que uma visita à loja de tecidos já é um tanto inspiradora.

Fonte: Revista Minha Casa

Fotos: Reprodução