DIY de Halloween: Fantasminhas camaradas

casa-baunilha-halloween-capa

Eu vi uma gangue do espanto como esta numa referência gringa e achei tão fácil que pensei “tenho que fazer isso hoje”. E também pensei “tenho que deixar ainda mais fácil”. Sim, porque o que eu vi era com tecido e eu fiz com lencinho de papel. E eu deixo a deixa pra você deixar ainda mais barato, fazendo com guardanapo. Arráaa! Por essa você não esperava. Tá lançado o desafio, então.

Para enfeitar o seu Halloween com esses fantasminhas fofos, você vai precisar Continuar lendo

Em busca da escrivaninha perfeita

Meu apê tá passando por transformações. Na verdade, no mundo de hoje, o que não tá, neh gente? Mas mais recentemente troquei quartos de lugar. O quartinho da bagunça virou o meu quarto mesmo, pra dormir, e o que era de dormir virou o da bagunça. Só que nessa brincadeira, a casa inteira virou uma zona. Sabe quando vem gente de loja entregar na sua casa e dá vontade de dizer “nós mudamos recentemente, sabe como é…” quando na verdade tu já mora ali há 7 anos? Tô nesse estágio.

Maaaas, como toda boa repaginada, o negócio é fazer tudo devagarinho. Então agora estou concentrada no espaço do home office/ escritório / cantinho do computador, que ficará no atual quarto da bagunça. E a peça principal dessa história é a escrivaninha, a mesa.

escrivaninha wearescout

Foto: We are scout

Fã de móveis antigos que sou, pensei em começar uma busca por algo assim, como na foto, bem enxuto, pequeno, com linhas delicadas. A prioridade é ocupar menos espaço possível e agregar história, porque os objetos que ficarão por ali são modernos, como computador, luminária e outras coisas. Então uma mesa vintage vai Continuar lendo

1 quadro, muitas histórias

Adoro colecionar coisas, claro que na medida do possível, porque meu apê é pequeno, então não posso me dar ao luxo de colecionar bicicletas, por exemplo (tirando o fator grana pra fazer essa brincadeira, ok?).

Então, se você também é do time que coleciona miudezas em larga escala, confere esta ideia pra reunir e expor a sua preciosa coleção, ou melhor, a sua preciosa coleção de histórias vividas. Que, na real, é isso que as coleções representam pra nós.

Em caixinhas com a frente envidraçada, você vai jogando ali as peças e, com o tempo, vai vendo a coleção crescer. Quadrinhos e até alguns porta-retratos cumprem muito bem esse papel. E, no fim, a coleção acaba virando um quadro bonito na sua parede.

historias de casa

A colorida coleção de caixinhas de fósforo é da Histórias de CasaContinuar lendo

Mais groove na nossa vida, por favor

Oi, pessoal, faz tempo, eim? Também, isso que dá emendar recesso de final de ano com feriados e carnaval. Mas agora estou de volta e com uma novidade que eu estou adorando, que é a parceria da Casa Baunilha com o programa de rádio mais cremoso e crocante da web, o Grave & Groove.

urbanoutfitters.com3

Acho que tem tudo a ver morar, se sentir em casa e música. Não dá pra viver sem música, e quando escutamos as que gostamos, por exemplo, no trabalho, a gente se sente mais confortável, a gente se sente em casa, não é mesmo? A música tem esse poder de te deixar bem onde quer que você esteja. A Grave & Groove é assim. Com o ritmo da black music, do funk, e de muitas brasilidades e joias esquecidas ela faz a gente se sentir em casa em qualquer lugar. Vai receber os amigos e não sabe que trilha botar pra tocar? Vai de Grave & Groove que não tem erro. Viajar? Sintoniza lá que você não vai ver o tempo passar. Tá tristinho? Ela te ajuda a superar. Eu ouço direto enquanto trabalho e meu dia ganha aquela, como eu diria, malemolência necessária pra ser enfrentado.

O programa é invenção dos meus amigos Geraldo Oliveira e Rodrigo Brandão, guris que amam música, gravam o programa direto dos bolachões (apelido carinhoso para vinil) e por isso é feito com o coração. E casa é isso, é onde o coração da gente está. Então eles estão sempre em casa onde a música toca. Ah, sim, porque o programa não roda somente online, ele também é gravado em espaços bacanas aqui de Porto Alegre, como alguns bares onde o pessoal pode curtir a noite e ainda ouvir um som especial.

No graveegroove.com podemos conferir todos os programas gravados, além de matérias especiais, como a primeira feita em parceria com a Casa Baunilha, com dicas pra arranjar um cantinho na sua casa para uma coleção de vinis e também pra curtir o momento de escutar música. Tenho certeza que vocês vão gostar.

E muito mais está por vir, seja na Grave & Groove ou aqui na Casa Baunilha.

Vamos que vamos!

Imagem: Reprodução / Urban Outfitters

Calma, 2016

calma-casa-baunilha

Quando vamos desejar boas festas pra alguém, seja natal ou ano novo, parece difícil de sair dos clichês. Acho que só sendo muito íntimo pra falar alguma coisa que não seja aquele texto trivial que chega a atiçar nossa úlcera.

Fico sempre com aquela sensação de que estou fazendo uma coisa errada, porém, fazendo alguma coisa, pra depois ninguém dizer que não fiz nada. Entenderam?

Mas o que eu queria desejar para as pessoas, e isso vem de muito tempo, é calma. Mas quem é que vai gostar de ouvir uma coisa dessas? Iam logo dizer “Tá me chamando de estressado?” ou “Mas eu sou uma pessoa calma!!!!!!!”.

Calma, pessoal.

O mundo tá caótico. As pessoas só falam em falta de tempo. Ninguém mais consegue terminar uma conversa, vocês já repararam? Eu achava que era coisa de quem tinha filho pequeno, mas agora vi que é geral. Será que todo mundo tem déficit de atenção? Aliás, tá todo mundo super hiper medicado. Criança é medicada a torto e a direito porque gosta de correr e brincar e pintar ao mesmo tempo. Mas que criança que nunca?

Calma, gente.

Eu podia estar fazendo um tutorial de enfeites de natal, eu podia estar decorando, mas estou aqui, te desejando o melhor que uma pessoa pode desejar pra outra. Calma.

Já reparou que os dias sempre passam? Um depois do outro? Que o natal sempre acontece? E que o réveillon sempre chega? E que no primeiro dia do ano novo vem aquela sensação de que vai acontecer tudo de novo?

Então, pra que a pressa? Pra que a correria, o estresse?

Onde você estiver, fique bem.

Está preso no trânsito e a meia noite do dia 31 está se aproximando? Fique bem.

Lembre-se de que deve ter mais gente junto com você ou no seu entorno que precisa da sua positividade. Mesmo que você não seja a pessoa mais positiva da Terra, nem a segunda, fique bem. Respire. Lembra o que é isso? É de graça.

É, eu sei, você fez queném eu, deixou pra comprar os presentes em cima do laço. Tudo bem, eles estão todos lá te esperando, a indústria faz um monte deles, não importa o quanto as pessoas comprem, sempre tem muitos deles.

Eu sei, eu sei, a fila já deve estar grande. Pensa naquele pior momento que você já enfrentou na vida. A fila não é nada, certo? Aproveita o tempo e vai atualizando sua lista de presentes a comprar ou coisas a fazer, vai riscando ou criando uma. Vai pensando nas coisas boas que você realizou durante o ano. Vai pensando “que bacana que eu posso estar aqui comprando essas coisas pras pessoas que gosto”. Vai pensando que tudo podia ser pior. Vai pensando que tá tudo bem, e que vai ficar tudo melhor ainda, pois vai acabar. Dia primeiro tá vindo.

Vocês devem estar pensando “Que depressiva, que down, que vibe é essa?”.

Calma, pessoal. É só um post. Nada demais. Se ele servir pra vocês se darem conta de que a vida de vocês é maravilhosa, super feliz, pra cima, colorida, então esse post cumpriu mais do que o seu papel. : )

Mas ele só está desejando calma. Um feliz natal, claro, e um feliz ano novo também, mas, acima de tudo, calma.

calma-casa-baunilha2

calma-casa-baunilha3
calma-casa-baunilha4
calma-casa-baunilha6
Fotos: Juciéli Botton / Casa Baunilha

Quarto de criança: um universo particular

Em homenagem ao Dia da Criança, a Casa Baunilha selecionou quartos infantis que dão até vontade da gente ficar morando neles. Elas merecem um espaço especial, onde possam descansar, aprender, brincar, se divertir, criar, sonhar, imaginar.

Tem desde aquele quartinho despreocupado, que não teve uma decoração planejada, que, particularmente, eu acho mais interessante e mais aconchegante, e também tem os espaços em que a decoração foi, como diria o Chapolin, friamente calculada.

1. Este quartinho é o que eu chamei de despreocupado. Com o que você já tem, a decoração está feita. Os brinquedos, as coisas das crianças já são tão coloridas e lindas, que criam um décor sem muito esforço. Basta organizá-las de forma harmônica.

casa-baunilha-kid1

As estrelinhas na parede podem ser aplicações de papel, adesivo ou Continuar lendo

Flores e luz: o casamento perfeito

No último post falei sobre festas enxutas, dentro do conceito de que menos é mais e da busca por viver uma vida mais simples.

Hoje trouxe este casamento que encontrei no site Style me pretty. E só tenho uma palavra pra vocês: flores! Só tinha flores. Uma que outra vela pequena sobre a mesa. E sobre a “pista”, aquelas lâmpadas de fio. É só isso que tem na decoração, gente, juro! Nada de painéis com a foto do casal, nada de telão, nada de mil coisas produzidas para aquele momento. Só flores e luzes.

casab casamento1

E ficou, eu diria, divino!  Continuar lendo

Menos é mais na festa

Quem acompanha o blog sabe que estou buscando viver com menos, levar uma vida mais simples. Quer dizer, tentar viver com menos. Não é fácil, claro, se desfazer de objetos, de hábitos, de manias que envolvem manter ou adquirir coisas. Se você perdeu algum capítulo dessa história, pode ler este post e este também.

buque3 copy

Foto: Utterly Engaged

Pois eu sempre pensei muito sobre isso também no campo das festas. Como nós produzimos lixo, gente! Ok, lixo não é uma palavra legal, né, pra se inserir numa conversa sobre festas, mas na verdade é isso mesmo que a gente produz com todas aquelas “coisinhas” que criamos pra enfeitar, pra ficar bonitinho. Se formos pensar a fundo, festa Continuar lendo