Sobre pintar mais de uma parede

Eu me arrisco a dizer aqui que TODO MUNDO, tipo, GERAL, quando pensa em colocar uma cor na parede de casa pensa em pintar 1 parede apenas. E digo mais: que assim fazem. É comum encarregarmos a um único pedaço de um espaço todo, a alegria da cor.

Pois é exatamente para isso que eu queria atentar vocês, para o todo. Nossa casa é um todo, e um todo até bem complexo, certo? Quando moramos, queremos estar em todos os cômodos, queremos enxergar a nós mesmos em todos os cantos, detalhes, quadros, tudo. Quando os amigos vem, queremos que eles nos vejam através da história que contamos no nosso lar. Por isso a importância de se ter continuidade, aquilo que faz a gente estender o tapete da nossa história por toda a nossa casa.

Continuidade é o que temos que ter em mente.

Posto isso, que tal continuar com o rolo de pintar para além daquele ângulo de 90 graus e cobrir a parede vizinha também?

Quando criamos este “L” nas paredes, com uma mesma cor, estamos prolongando uma sensação, estamos continuando aquele clima que ela traz para o ambiente e, o mais legal, criamos a sensação de amplidão. O espaço continua, ele não acaba onde aquela parede acaba, ele se vai – que poético!

Pintar somente 1 parede é como se você estivesse lendo uma linha no texto de uma página de livro em que, ao final dela, o texto também acabasse, incompleto. Quando pintamos uma parede a mais, estendemos essa leitura, ampliamos o visual que ela favorece. A história continua.

Encontrei nas páginas da revista Covet Garden um exemplo disso, e um pouco mais. O cinza, cor escolhida, se estende por quase toda a morada.

pintar-mais-de-uma-parede

Poderia ter ficado só ali, atrás da mesa de jantar, mas o cinza  Continuar lendo

Vida simples

Oi, gente! Tudo bem com vocês? Eu tô ótima, mais leve! No post anterior contei pra vocês que faria a revolução dentro de casa e descartar muitas coisas a fim de ter uma vida mais simples, com menos objetos, menos roupas, menos tudo, lembram?

E, como prometido, agora vou contar o passo a passo que me ajudou nessa empreitada, aquele do método konmari que li no livro da japonesa Marie Kondo, A mágica da arrumação. Antes, queria situar vocês no meio dessa conjuntura toda. A mudança sempre esteve dentro do meu eu. Vocês devem saber como é, a gente começa a mudar a forma de pensar ao longo da vida, a entender tudo de um jeito diferente e então ficamos com vontade de começar do zero! Só que por comodismo vamos levando a vida do jeito que está, né não?

vida simples casa baunilha 1-01

DIANTE dA NATUREZA AÍ DA FOTO, VIDA SIMPLES NA VERDADE tá mais pra VIDA DE LUXO!

 

Pois o grande tapa na cara me foi dado pela natureza, durante a viagem que fiz a Foz do Iguaçu, no Paraná. A chuva que as quedas d’água das Cataratas lançaram sobre mim surtiram efeito pra dentro da minha pessoa. Acho que fui batizada de novo! hahaha De um lado, a natureza correndo seu curso e, de outro, a pesada intervenção Continuar lendo

Por uma vida com menos coisas

ORGANIZAÇÃO. Ô palavrinha que é fácil de expressar e difícil de se concretizar na vida. No caso, na minha. Eu confesso que não era, gente, e acabei sendo. Bagunceira. Coisa boa assumir uma coisa dessas. Coisa boa assumir qualquer coisa né. Ser quem a gente é. Só que no caso, eu não quero mais ser bagunceira. Na real, nunca quis.

desapegocasabaunilha2

Faz tempo que tento dar fim à bagunça. Na verdade não é bem bagunça, o buraco é mais embaixo. São coisas diferentes você: 1) chegar em casa do trabalho e jogar a bolsa no sofá e 2) não ter onde jogar a bolsa porque sua casa tem muitas coisas. Sacou? Em outro post eu tinha contado que meu namorado apelidou nossa casa de A Casa das Coisas. E é tudo culpa minha. Se a gente se separasse hoje era mais fácil ele sair de casa, levando só uma mochila, do que eu, porque teria de contratar uma transportadora.

Pra que ter as coisas? Pra que ter o DVD do filme Rocky Balboa? Pra que manter respirando com a ajuda de aparelhos um livro de uma cronista escrito em 1500, cujas opiniões nem ela mesma concorda mais? Ela deve ter trocado até de time de futebol nesta altura da vida. Continuar lendo

Da hora!

Dicas para facilitar a vida e também incluir mais beleza no dia a dia são sempre bem-vindas. A revista Casa e Jardim apresentou algumas e eu fiz uma seleção das que gostei mais:

Captura de Tela 2015-05-15 às 13.50.091. QUAL É A SENHA? Minhas visitas perguntam e eu nunca sei a senha do wi-fi de casa. Um quadrinho emoldurando essa informação preciosa resolve a parada e Continuar lendo

Hoje, visitei a minha casa

casa baunilha2

Hoje fui almoçar em casa. Sempre que isso acontece, o que é raro, eu tenho a mesma sensação. Minha casa parece outra. Estar ali em um horário que normalmente não estou me faz perceber uma casa diferente. Quase todo santo dia eu chego à noite, e depois só tenho ela aos fins de semana. Mas sábado e domingo não contam pois têm outra aura, diferente da aura dos dias de semana, dos horários comerciais.

Aproveitei e fiz uma máquina de roupa. Parecia que até a máquina de lavar estava estranhando. Programei para a lavagem de 20 minutos mas pareceu 1 hora. Acho que ela não estava acostumada mesmo. As roupas ficaram felizes que iam secar ao sol do meio dia. Escancarei as janelas. O barulho delas abrindo parecia o de crianças Continuar lendo

10 dicas para facilitar a reforma do seu usado

Gente, é fácil fácil associar reforma em casa com estresse, sim? Até quem nunca fez uma, associa. Pois então, pra garantir o sucesso da empreitada, vamos nos munir de todas as armas possíveis pra evitar dúvidas, surpresas indesejadas e também aquele improviso que gera arrependimento depois. Se uma ação tem potencial pra dar errado, por que não se antecipar e tentar minimizar os desgostos do que na verdade deveria ser um momento m-a-r-a que é a transformação do seu lar?

dicas-reforma-casa-baunilha

Eu estou planejando algumas modificações aqui no meu e, durante este percurso, percebi que alguns detalhes podem ajudar muito.

1. Veja muita coisa. Crie um repertório visual na sua cabeça de tudo que é possível fazer, ou pelo menos de tudo o que te agrada. Acredite, você pode até ficar em dúvida no começo com muitas opções, mas é Continuar lendo

Do gesso à ferrugem, de volta às origens: um olhar sobre nosso estilo de vida

Eu simplesmente fazia um post sobre a aparência da passagem do tempo na decoração, dos móveis gastos, das falhas nas superfícies e quando me dei conta, a questão ia muito mais além do que texturas. Comecei a pensar em como vivemos a vida hoje.

capa-casa-baunilha

Parece que ou a gente não sabe pra onde ir, ou não consegue mais criar, e então voltamos às origens, aos clássicos e buscamos aquilo que está mais Continuar lendo

Deixe os móveis em paz e só acrescente cores!

Acabamos de falar sobre cores, em como elas podem aquecer um ambiente amplo demais. E agora, procurando justamente por casas aconchegantes, me deparo e me apaixono à primeira vista por esta. Ela reúne boas peças de decoração, antigas, aquelas de presença, de história, e que agora resgatam o “brilho” ao lado de muitos pontos de cor.

Esta é a grande dica! Quer iluminar e alegrar sua casa? Deixe a mobília em paz, não compre nem modifique. Apenas acrescente cores!

casa baunilha cor3

Tá, vai, eu confesso. Me apaixonei foi pelo rei do pedaço.

casa baunilha cor2

E, realmente, se observarmos, os móveis antigos da casa são muito escuros. É com a pintura das paredes e no acréscimo de quadros, tapetes e Continuar lendo

O arquiteto do futuro

casa baunilha bernardes

Ontem assisti ao documentário Bernardes e queria muito dizer: vejam! Recomendo muito. Além de se tratar de um material riquíssimo (e premiadíssimo) e muito bem produzido, revela a grandiosidade e a jornada do trabalho do arquiteto brasileiro Sérgio Bernardes, desde a criação de casas para a elite até a preocupação com a organicidade dos espaços urbanos no Brasil. Com 15 anos projeta uma casa pela primeira vez e, ao final da vida, ainda lutava para transformar o Brasil. Tentou levar água aonde havia seca entre outros projetos praticamente utópicos em um país que caminha com passos de tartaruga rumo a… quem sabe?

Aqui, o trailer:

Me chamou a atenção o projeto que apresentava a planta livre, da década de 60, em que as paredes não são usadas como Continuar lendo