Emma Watson na revista T

Lindas as fotos da atriz Emma Watson, feitas pelo fotórafo Alasdair McLellan, para a edição de outono da T Magazine (revista do jornal The New York Times). Depois de uma década interpretando a Hermione de Harry Potter, ela apostou no cabelo curto e posou com peças de alfaiataria

Contando uma nova história.

Fotos: Reprodução.

A beleza de todas as coisas

Lindo e muito interessante o editorial de moda da revista Est, número 6. A fotografia é belíssima e a composição das imagens foi muito feliz. Harmonia na reunião dos “assuntos” como tecidos, tramas, pedras, muitos elementos da natureza, religiosidade, caveira, formas e cores.

Clique para ampliar!

 A beleza está em todas as coisas e criaturas.

Fotos: Reprodução / Robyn Lea

Viva o novo

Oi pessoal. Como podem perceber, dei uma redecorada na Casa. Não adianta né, é da natureza do ser humano reinventar as coisas, até a si mesmo. E mudanças são tão boas!

O cabeçalho do blog está mais próximo do que eu tinha projetado mentalmente para a Casa Baunilha desde quando ela não tinha teto, não tinha nada. Mas, como ao longo da vida a gente aprende muito, uma lição que extraí – na verdade tive que forçadamente aprender a aceitar – é que, muitas vezes, temos que deixar o preciosismo e a autocrítica de lado e apenas fazer, bem ao estilo Nike, Just Do It. Porque se não for assim, às vezes, as ideias não saem do papel, a vida não anda, as mudanças não acontecem. Apenas faça, nem que depois, ao longo do trajeto, você dê seu toque especial, alinhe, arrume, arranje.

E confesso que, para quem trabalha de olho nos detalhes, como eu, apenas fazer não é tarefa fácil. Porém, em alguns momentos da vida, estritamente necessário. E vale a pena.

Eu quis deixar a Casa com uma cara mais brasileira, então arranjei folhas de bananeira ali pelo cantinho. Inseri também uma silhueta feminina, de traços suaves, para compor a parte de estilo. Troquei o abajur anterior por um modelo que amei de paixão quando vi, e que depois de correr atrás descobri que é da marca Robert Abbey. Tem de várias cores, preto, vermelho, inclusive tons pastéis, que eu adoro.

A base dele é o grande barato, ainda mais hoje, que as estampas e formas geométricas estão bastante presentes na decoração.

Agora, o que não sai de moda mesmo é mudar.

Almodóvar como inspiração

Bom, como este post nasceu para inspirar, seja pela decoração ou pelo estilo, nem vou mergulhar nas questões mais profundas das obras desse cineasta incrível. Vamos direto ao ponto. Os cenários produzidos e a direção de arte de seus filmes realmente são muito inspiradores, ambientes carregados pelo espírito de seu criador: direto, marcante, contrastante e dramático. Nesse “universo Almodóvar”, as cores vivas, a mistura de estampas e um feminino nada frágil sempre marcaram presença. E o vermelho sempre foi o protagonista.

 Esse tapete, presente em seu último filme, A pele que habito, tem um quê de Mondrian.

1. Vestidos curtos, com sobreposições que misturam estampas, como o vestido de flores miúdas e o cashmere listrado. Os calçados também somam cor à produção. 2. Mobília retrô. 3. Mistura de motivos nos quadros. 4. Obra de Piet Mondrian, o artista holandês que, por meio do Neoplasticismo, com suas linhas verticais e horizontais delimitando as áreas de cor, influenciou a arquitetura, o design, a publicidade e as artes como um todo.

Agora, melhor do que falar sobre Almodóvar é assistir.

Fotos: Reprodução

Composição: Casa Baunilha