Cupcake de árvore natalina

Esta dica é um prato cheio pra quem gosta de confeitar. E para montar aquela mesa linda de Natal, o visual de apresentação pode ir além do trivial…

É muito simples de montar. Você vai precisar de:

• 6 cupcakes

• 6 casquinhas de sorvete (pequenas)

• glacê verde

• confeito prata em forma de bolinhas

• 6 confeitos prata em forma de estrela

• saco e bico de estrela para confeitar

1. No cupcake, faça um círculo com o glacê para formar a base.

2. Sobre esta base de glacê, posicione uma casquinha de sorvete de cabeça para baixo.

3. Em seguida, faça as folhas da árvore, começando de baixo até o topo. Faça por linhas, completando círculos. Fica mais fácil e simétrico.

4. Fixe um confeito de estrela prata na ponta.

5. Decore com as bolinhas prateadas.

As crianças vão adorar.

Fotos: Reprodução / Tickle The Imagination

Tempero fresco

Uma boa ideia essa. Guardar salsinha e outros temperos como alecrim, e até mesmo aspargos, de maneira que fiquem frescos após alguns dias na geladeira.

Na verdade, no vídeo o produto promete resultados depois de 3 semanas!

Prepara ‘Herb-Savor’: Keep Herbs Fresh!

Passadas as 3 semanas, embora a moça do vídeo permaneça com a mesma blusa, e sua geladeira mostre o mesmo conteúdo, ainda tenho esperança de que com este produto a salsinha fique menos murcha, nem que seja por 3 dias.

O produto se chama Herb-Savor da marca Prepara.

Foto e vídeo: Reprodução

A beautiful cake

Achei lindos, elegantes e sofisticados estes bolos de festa, da nova coleção de uma empresa gringa especializada nestas obras de arte doces.

É realmente um trabalho criativo, minucioso e preciso. Alguns apresentam estampas florais, outros, desenhos geométricos. Há os monocromáticos, e também os que recebem pequenos detalhes em cores diferenciadas.

São interessantes as escolhas das cores, e a combinação de texturas. Simplesmente difíceis de cortar!  ; )

Não é todo dia que encomendamos bolos com um certo número de andares, decorados tão perfeitamente para uma ocasião especial. Mas… caso este dia chegue, pelo menos já conferimos algumas ideias. ; )

Eu não saberia escolher.

Bolos: Charm City Cakes

Fotos: Reprodução

Peixe de domingo

Demorou – até porque, domingo é um dia preguiçoso mesmo – mas aqui está o almoço e o jantar de hoje. Aqui em casa, trocamos o churrasco por peixe assado, e alguns toques especiais. Mas não pra variar, é que a gente gosta de uma comidinha leve mesmo.

Assamos, em uma fôrma com grelha, duas tainhas inteiras – porém, limpas – temperadas com sal e limão. Recheamos com alecrim, alho-poró e cebolinha picados. Fechamos com palitos.

Ainda em cima da grelha, acomodamos uma cabeça de alho inteira (com casca), e tomates, também inteiros – retirei a parte seca do cabinho fazendo um pequeno buraco, e ali coloquei manjericão.

Para acompanhar, batata-doce, cozida inteira, com casca, na panela de pressão por 10 minutos.

O alho, na casca, cozinha e fica pastoso, perdendo a ardência mas conservando o sabor.  A batata-doce fica ainda mais gostosa se regada com um bom azeite de oliva, já no prato.

Para bebericar, vinho tinto seco cabernet sauvignon. Tínhamos um chileno, de 2010, muito bom. Mas atenção, se você quiser saber que vinho combina com o quê, vide o blog especializado mais próximo. Aqui na Casa Baunilha a gente combina o que a gente gosta, o que dá na telha. Isso é o melhor de tudo.

🙂

Fotos: Casa Baunilha

Viva o novo

Oi pessoal. Como podem perceber, dei uma redecorada na Casa. Não adianta né, é da natureza do ser humano reinventar as coisas, até a si mesmo. E mudanças são tão boas!

O cabeçalho do blog está mais próximo do que eu tinha projetado mentalmente para a Casa Baunilha desde quando ela não tinha teto, não tinha nada. Mas, como ao longo da vida a gente aprende muito, uma lição que extraí – na verdade tive que forçadamente aprender a aceitar – é que, muitas vezes, temos que deixar o preciosismo e a autocrítica de lado e apenas fazer, bem ao estilo Nike, Just Do It. Porque se não for assim, às vezes, as ideias não saem do papel, a vida não anda, as mudanças não acontecem. Apenas faça, nem que depois, ao longo do trajeto, você dê seu toque especial, alinhe, arrume, arranje.

E confesso que, para quem trabalha de olho nos detalhes, como eu, apenas fazer não é tarefa fácil. Porém, em alguns momentos da vida, estritamente necessário. E vale a pena.

Eu quis deixar a Casa com uma cara mais brasileira, então arranjei folhas de bananeira ali pelo cantinho. Inseri também uma silhueta feminina, de traços suaves, para compor a parte de estilo. Troquei o abajur anterior por um modelo que amei de paixão quando vi, e que depois de correr atrás descobri que é da marca Robert Abbey. Tem de várias cores, preto, vermelho, inclusive tons pastéis, que eu adoro.

A base dele é o grande barato, ainda mais hoje, que as estampas e formas geométricas estão bastante presentes na decoração.

Agora, o que não sai de moda mesmo é mudar.

Suflê de milho verde

Esta delícia é facílima de fazer. Hoje eu fiz para o jantar e não precisou de outra coisa. Adoro comida de uma panela só, prática e rápida. Nesse caso, de uma fôrma só.

Ingredientes
  • 2 xícaras (chá) de grãos de milho verde
  • 1 xícara (chá) de leite
  • 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo
  • 2 colheres (sopa) manteiga
  • 3 ovos
  • sal a gosto
  • 50g de queijo parmesão ralado
  • cebolinha picada – 1 folha grande
  • alho-poró picado em rodelas – 2 colheres (sopa). Na verdade, esses dois últimos você coloca a quantidade que preferir. Eu, como adoro os dois, coloquei bastante. O mesmo em relação ao queijo!
Como fazer
No liquidificador, bata o milho e o leite. Sem parar de bater, acrescente ovos, manteiga, sal e farinha. Desligue quando ficar uma mistura homogênea e adicione a cebolinha e o alho-poró, mexendo com uma colher. Unte uma fôrma e despeje a mistura. Acrescente o queijo parmesão e misture novamente. O queijo pode ser colocado ainda no liquidificador, sem bater, mas eu prefiro adicionar depois, na fôrma, para não haver perdas (eu amo queijo!). Leve ao forno médio preaquecido por, mais ou menos, 30 minutos.

Delícia!

Fotos: Casa Baunilha 

Brunch é tudo de bom

O Brunch é uma ótima alternativa para receber pessoas em casa. O costume americano, que emenda o café da manhã com o almoço, combina perfeitamente com aquele dia preguiçoso de fim de semana, em que a gente acorda tarde e não quer encarar a comida pesada do almoço logo de cara, mas também já precisa de uma refeição consistente. É servido entre 11h e 14h30, e soma pratos de almoço e pratos de café da manhã.

Pode ser adaptado a todo tipo de recepção: casamentos matinais, batizados, aniversários, celebrações, reuniões. É prático porque as comidinhas ficam todas servidas e dispostas para os convidados, e assim os donos da festa conseguem curtir o momento também.

Sem contar que podemos montar apresentações lindas para a mesa, como mostra o blog Celebrations at Home.

Amei as colherzinhas amarradas aos copinhos com salada de frutas.

Muito simples arrumar e decorar. Com um tecido estampado de pano de fundo e organização na apresentação dos pratos, o visual atraente é garantido. O toque ficou por conta das hortências, de cor suave, presente até em cima dos bolos, em pequenos raminhos. Para amarrar o evento ao tema “chá de fraldas”, a mamãe ainda deixou um recado para o seu bebê em um quadro, escrito a giz.

Geralmente, são servidas comidas frias, usam-se pratinhos de sobremesa e garfos somente.

O brunch é uma boa ideia para o primeiro dia do ano, depois de acordar tarde das festas, e com a geladeira recheada do que restou da noite da virada.

Motivos não vão faltar para organizar uma mesa bonita e deliciosa!

Fotos: Reprodução

Fonte: Programa Mais Você

Deu a louca no pão de queijo

Pelo menos aqui na Casa Baunilha. E não é mais um daqueles filmes de comédia. É mais uma daquelas receitas que tomam um rumo diferente do programado e se tornam verdadeiros tesouros achados.

Entendendo a loucura:

Numa tijela, coloque o polvilho, em seguida água morna e misture. Em uma panela, junte o leite e o óleo e aqueça brevemente, só para amornar um pouco. Despeje na tijela, mexa, e acrescente os ovos. Mexa bem. Acrescente o queijo minas e o sal. Misture bem. A massa ficou mais cremosa do que consistente, o que nos fez optar por despejar em uma forma como se fosse uma massa de bolo. Bom, ainda na tijela, espere esfriar. Retire metade para congelar e utilizar numa próxima vez. Despeje a outra metade em uma forma média. Não precisa untar. Leve ao forno pré-aquecido, em fogo baixo (150 a 180 graus) por 30 minutos, ou até dourar um pouquinho.

Dica 1: Passados 20 minutos no forno, polvilhe queijo parmesão ralado por cima.

Dica 2: Para acompanhar, um copinho de licor de jabuticaba, como na foto.

Dica 3: Regue os pedaços com um fio de mel puro, para comer como waffles, acompanhado de um café…

O resultado foi tão inesperado que nem sei que nome dar! Algumas sugestões: Pão de queijo esticado / Esticadinho de pão de queijo / Pão de queijo deitado / Pão de queijo louco / Tortinha de pão de queijo / Pão de queijo crocante / Pão de queijo quadrado.

Vamos combinar, o nome é o que menos importa.

Foto: Casa Baunilha