O Desafio Jovem que leva Três Coroas para além do Templo Budista

Enquanto eu conhecia o famoso Templo Budista em Três Coroas ficava pensando, nossa, acho que isso dá um post com os detalhes do décor e tudo mais. Como não havia uma programação de atividades por lá no horário em que eu estava pois era fim de tarde, como vocês podem perceber pela luz nas fotos, o que restava era acompanhar o grupo de pessoas que estava lá para conhecer, olhar os monumentos, visitar os templos e contemplar a natureza. E tirar fotos, claro.

Pois mal sabia eu que, depois dessa bela visita, de volta ao centro da cidade, eu ainda fosse encerrar meu dia com uma boa notícia. Na verdade, não imaginava encontrar uma jóia rara logo ali. Foi como num episódio dos Simpsons. A história começa com um determinado assunto e, quando você menos espera, a trama já é outra.

Meu namorado e eu temos um ritual pra conhecer uma cidade que é passar um tempo agradável na praça principal, tomando chimarrão e observando o que acontece, as pessoas, os costumes, o ritmo. Pois na praça central de Três Coroas perguntei a uma mulher onde poderíamos comer salgados, doces, coisas de padaria e café – na verdade eu estava louca por um quindim- e ela “sim, tem um lugar maravilhoso, o Desafio Jovem, fica ali assim, dobrando mais adiante, indo reto, segue toda vida…”. Enquanto nos deslocávamos até lá, ficávamos repetindo que o nome era estranho pra uma padaria ou um café, como assim, Desafio Jovem? O que tem a ver?

Chegamos e logo vimos que, ao lado, grudada na padaria tinha uma pizzaria, e que a padaria não era só padaria, era um mercadinho. E vimos que as verduras, algumas orgânicas, tinham preços absurdamente baratos. E começamos a fazer as compras Continuar lendo

Parque do Salto Ventoso em Farroupilha – A cachoeira

Foi lendo o jornal no hall de entrada de um restaurante em Farroupilha que ficamos sabendo da cachoeira do Salto Ventoso. Só que conhecer ao vivo mesmo aconteceu muito depois, no verão deste ano. Estava absurdamente quente. Parecia que estávamos naqueles desenhos do Pica Pau, em que o jacaré tenta fazer uma sopa com ele, e começa a picar cenoura e o Pica Pau acha que é algum tipo de banho especial de spa. E, ainda por cima, estava nublado. Então, se você for conhecer essa beleza no alto verão, prepare-se para o forno pré aquecido a 40 graus e a umidade. Do local e sua. Prepare-se também para a pouca vazão na cachoeira, o que não reduz em nada a beleza dela. É tudo muito lindo. Não há o que supere as belezas naturais seja lá de onde for, não é mesmo?

Mas nem só de cachoeira vive o parque. Há diferentes vistas que se tem a partir dali, como o vale verde à frente da cachoeira, lindo. Há trilhas que levam a vários pontos de visitação, como as ruínas de uma antiga casa, tomadas pela vegetação, que mostrarei em breve, em outro post. Além disso, o parque fica numa região que há muito foi habitada por tribos indígenas. E a gente fica sabendo disso por placas explicativas que muito me surpreenderam pelas informações, o que faz do Parque do Salto Ventoso diferente de outros locais que eu já visitei aqui no sul que serviram de residência para os índios. A escassez de informação parece ser um padrão. Então, fiquei positivamente surpresa. Porque turismo é isso, é também Continuar lendo

Alles Antiquário em Morro Reuter | RS

Uma das coisas que eu adoro na serra gaúcha são os antiquários de beira de estrada. Não tem emoção que se iguale a de estar passando e, de repente, ver surgir um antiquário – pelo menos pra quem adora velharia e decoração como eu.

Só que mais interessante do que os móveis e os objetos em si é a composição deles no espaço, em como eles estão arranjados em conjunto. O que é um prato cheio pra quem adora fotografar.

O último antiquário que encontrei foi o Alles, que fica em Morro Reuter. E pelo que vi Continuar lendo

Sábado perfeito em Santa Maria do Herval | RS

Santa Maria do Herval é um município do estado do Rio Grande do Sul que fica a apenas 24km de Gramado e a 75km da capital, Porto Alegre. É o tipo de cidade que eu adoro visitar no final de semana quando estou a fim de passear sem me alongar muito na estrada e sem ficar sob o estresse de muito agito. Contato com a natureza é o que Santa Maria do Herval tem a nos oferecer. Além de muita relação com sua história e suas origens.

A apenas alguns metros ou a poucos quilômetros do centro da cidade temos 4 cachoeiras esperando por nós, sendo que uma delas, a Cascata do Herval, tem 125 metros de queda. Ou seja, é beleza natural pra tudo que é lado. Fiquei muito empolgada em conhecer esta bem alta. Quando comentei com o garçom, ele me desaconselhou, porque não há um caminho bem definido e orientado até ela. Precisaríamos de um guia para chegarmos até lá. Então, por orientação dele, fomos conhecer a cachoeira da Caverna dos Bugres, que fica a apenas 500 metros do restaurante da Igreja.

Esta cachoeira e outras atrações que eu vivenciei na cidade estão em destaque no mapa ilustrado que fiz especialmente pra mostrar como o seu dia pode ser agradável por lá. Então, vamos a elas:

Cachoeira Caverna dos Bugres | Ela fica distante apenas 500 metros da Paróquia Santa Maria do Herval. Fomos caminhando até lá. Uma caminhada ótima, pós almoço, aquela própria Continuar lendo

A preocupação estética do povo da serra gaúcha

Eu prometi e hoje vou cumprir. Eis aqui o post especial feito pra compartilhar e registrar e imortalizar a beleza que encontrei no caminho que leva até a árvore milenar, aquela que mostrei no primeiro post de 2017 e que fica na Linha Imperial do município de Nova Petrópolis, na serra gaúcha – o post sobre esta árvore fabulosa você pode ver clicando aqui.

Gente, a sensação térmica era de uns quarenta graus e a estradinha de terra denunciava alguns lagartos atravessando de um lado pro outro, o que me deu um pouco de pânico. Não conseguia descer do carro pra fotografar, travada. Abria o vidro, vinha aquele bafo quente, e eu clicava dali do banco do carona mesmo. Até que Continuar lendo

Uma senhora árvore com corpinho de folhagem

O primeiro post de 2017 tem vários aspectos dignos de um primeiro post de 2017. Tem contraste, porque 2017 é um ano novo em folha, numa era ultramoderna e tão tecnológica, enquanto que o post traz justamente algo muito mais velho que muita coisa neste mundo. O post também fala de algo natural, e eu adoro retratar a natureza, e também sobre espiritualidade, força e energia.

arvore-milenar-3

arvore-milenar1Por mais que eu já estivesse no caminho de estrada de chão que levava a este monumento da história, por mais que todas as placas indicassem o que estava por vir, quando eu fiquei frente a frente com as raízes da araucária de quase mil anos e 45  metros, deu vontade de me curvar. Sério, parecia que aquilo pedia uma reverência. Pura energia. Era uma santidade, era uma autoridade. E eu tenho profundo respeito pelos mais velhos. Continuar lendo

Vinícola Valmarino | Pinto Bandeira – RS

valmarino-casa-baunilha10

Eu adoro passear pela serra gaúcha. E não tô falando de viajar, gente, mas de passear mesmo, rodar em tranquilos 80 quilômetros por hora e parar em cada paisagem linda e cantinho interessante pra apreciar e conhecer. Não tem coisa melhor do que ir encontrando ao acaso lugares bacanas e adentrar cidadezinhas que não estavam no seu mapa.

Mas, antes de mais nada, me permitam indicar aqui uma trilha para esse post. Uma música que diga “como estou feliz em ter provado o melhor vinho da minha vida”. Vamos de John Coltrane, com Continuar lendo

Le Jardin Parque de Lavanda em Gramado

Se esta casa não cheirasse a baunilha, ela com certeza teria o cheirinho da lavanda. Claro que são cheiros que nos levam para dimensões diferentes. Mas vamos combinar, cheiro de lavanda não tem igual.

le-jardin-casa-baunilha6

Um dos lugares que visitei na minha última ida à serra aqui do sul foi este parque lindo, o Le Jardin, pouco antes do pórtico de Gramado, onde a lavanda é cultivada e são produzidos vários produtos a partir dela, até doces! Eu não resisti e trouxe aromatizadores pra casa. Me joguei no cheirinho, com tudo!

O Parque é extenso, com muita vegetação, e a casa adaptada Continuar lendo

Museu do Perfume em Gramado

Oi gente! Tudo certo? Por aqui tudo. E eis mais um lugar diferente que conheci nesta última viagem a Gramado. Há tempos queria conhecer o Museu do Perfume, só que agora vou confessar uma coisa: eu queria mesmo era conhecer a casa que foi adaptada para receber essa história. O museu funciona em um casarão de dois andares e um porão. Atiça ou não atiça a curiosidade da gente?

perfume-casa-baunilha8

Mas não basta só ver, e eu vou logo tentando descobrir a história do lugar, adoro bancar uma de detetive. Então fui investigando. A vendedora lembra que a casa pertencia Continuar lendo