Na varanda: A casa dos sonhos de um mundo melhor

Eu preciso descer! gritei, e foi assim que os pneus frearam levantando poeira na ladeira da estrada de terra por onde passávamos. Foi paixão à primeira vista. Ou melhor, um sonho à primeira vista, parecia que eu tinha entrado num portal que protegia um outro mundo, um mundo onde reina a segurança e as pessoas podem viver livres desse jeito, com gramados abertos, janelas abertas, vista, telhado encontrando o céu, belezas naturais – posso ficar até amanhã descrevendo. Toda a paisagem parecia uma pintura. Parecia uma utopia. Parecia um delírio meu. Continuar lendo

Na varanda | Pinto Bandeira

Que eu gosto de colecionar algumas coisas, isso já não é mais segredo. E que eu tento e consigo me desapegar de algumas delas já foi provado no post sobre a coleção de mini garrafas. Pois agora eu tenho muito prazer em dividir com vocês mais uma: casas de varanda. A coleção nem é tão nova assim mas agora contempla uma categoria de posts especial, que chamei de Na varanda. Claro que eu não comprei todas essas casas – não que eu não quisesse -, são apenas fotos que, ainda bem, não vão ocupar espaço no meu apê.

Na varanda vai mostrar casas encontradas quase que exclusivamente em cidades tranquilas do interior, ou da serra, ou até mesmo do litoral, que preservam o histórico de um estilo de vida quase extinto, integrado com o espaço público e com a natureza. Elas apresentam muro baixo ou às vezes muro nenhum, jardins que foram se erguendo e se moldando à casa com a maior naturalidade e delicadeza, mas que ao mesmo tempo parecem ter sido estudados sob muito cálculo de tão perfeitos na sua imperfeição – é, eu sou uma romântica mesmo.

Eu as considero casas de luxo. A sensação de liberdade, porque não parecem prisões, a integração com a rua e principalmente com a natureza, a varanda que oferece sombra e que convida para uma conversa presencial. São alguns elementos que, juntos, fazem destas casas uma coleção preciosa. Mas eu acho que, melhor do que tentar definir em texto, é contemplar o visual e deixar que as sensações falem por si mesmas.

casa-baunilha-varanda-capa

A primeira que apresento a vocês foi um achado em Pinto Bandeira, na serra daqui do Rio Grande do Sul. Eu não consegui contato com os moradores mas, se por acaso virem este post, eu ficaria muito feliz em poder contar sobre a história da casa e também parabenizar por tanto capricho. O que consegui registrar é o que os passantes também conseguem contemplar. E que sorte. Dá pra ver Continuar lendo

Horta no quintal

Passar o final de semana na casa dos meus pais é bom não só porque a gente mata a saudade e faz coisas juntos, mas também por momentos como este, de ficar mais próximo da natureza. Eu considero a horta um lugar, como eu poderia definir… sagrado. Quem cultiva, ou quem pelo menos tem algum contato com ela, entende o que eu estou dizendo. É uma relação entre ser humano e natureza muito bonita. Um acordo que diz, eu cuido bem de ti e tu cuida bem de mim também.

casa-baunilha-horta3E esta horta em particular significa muito, porque ela fica na casa dos meus avós maternos, e quem se dedica a cuidar é o vô Valmir, no auge dos seus 85 anos. É uma inspiração pra vida. É até engraçado, porque às vezes ele comenta Continuar lendo

Do gesso à ferrugem, de volta às origens: um olhar sobre nosso estilo de vida

Eu simplesmente fazia um post sobre a aparência da passagem do tempo na decoração, dos móveis gastos, das falhas nas superfícies e quando me dei conta, a questão ia muito mais além do que texturas. Comecei a pensar em como vivemos a vida hoje.

capa-casa-baunilha

Parece que ou a gente não sabe pra onde ir, ou não consegue mais criar, e então voltamos às origens, aos clássicos e buscamos aquilo que está mais Continuar lendo

Welcome to the jungle *2

Esta casa captou o verdadeiro espírito do “é selva só que na cidade”. Junto às texturas e acabamentos que lembram concreto, há muita madeira e outros detalhes de tons terrosos e, não poderiam faltar, plantas. O contraponto do frio do concreto com as cores quentes criou um ambiente perfeito, elegante sem deixar de ser aconchegante. É o rústico chique.

jungle1 jungle2O paredão verde lá fora é revelado pela janela e forma um verdadeiro quadro vivo na parede escura. Adorei a ideia de agrupar várias luminárias e formar Continuar lendo

Welcome to the jungle *1

A temperatura está esquentando cada vez mais e, mesmo que a gente não more na praia ou numa casa de campo ao lado de um riacho, podemos, graças à decoração, refrescar a nossa casa e deixar o clima mais gostoso.

As revistas nesta época são uma fonte de ideias muito boa porque produzem belas fotos para os editoriais, fazendo render inspiração pra gente correr atrás de tecidos, texturas, cores e o que mais puder agregar à nossa selva particular.

É o caso da revista Livingetc, que propõe criarmos uma atmosfera exótica com temas de folhas, texturas naturais e cores vibrantes. Vamos conferir detalhe por detalhe, juntinhos:

jungle9bAchei da hora esta ideia. A sacola de palha funciona como cachepô para a palmeira. Mais original e praiano impossível.

Achei bem interessante, na parede de baixo, o efeito de manchado e bicolor. E os tons aplicados funcionam perfeitamente juntos.

jungle10 jungle11 Além das plantas de verdade, padrão com folhas para colorir o sofá.

As 4 imagens a seguir são referências Continuar lendo

Pacotão de ideias

Graças ao belíssimo trabalho da fotógrafa Idha Linghag, nós vamos mergulhar agora em um mundo inspirador, mesmo, eu garanto! Repleto de luz, cor, texturas, arranjos. Espaços propositalmente criados para despertar nosso desejo e nossa criatividade.

Vamos ao que interessa! Olhaaaaar…

Swedish-Grace-Greta-Atelje_035

Tenka_Gammelgaard-40614

Preto, branco e ouro. O artista organizou o ateliê de tal forma que mais parece um canto na sala onde ele guarda suas coleções, de pincéis, fotos e tintas.

Elle-Interiör_åkersberga_131

Que claridade! A varanda perfeita… Os móveis são bem simples na sua forma, além das cores neutras. O que se destaca é o tapete e o vaso de flores.
Continuar lendo