Living de cinema

Este é o living do hotel Four Seasons, em  Marrakech, no Marrocos. Linda a composição de tons claros com algumas pinceladas de cor, no caso dos lírios em tons de rosa e laranja e também das almofadas, amarelas e cilíndricas azuis. As luminárias de metal fazem a referência ao oriente médio, juntamente com grandes aberturas e cortinas.

Copie o look!

Luminárias; cortina de tecido leve; almofadas em tons de amarelo, ouro e azul mediterrâneo; vasos em cores pastel; e mix de flores rosadas e alaranjadas.

Sua sala vai ganhar ares de um set de locação para um filme.

Fotos: Reprodução

Caixote de madeira

Esta moda veio e ficou. Faz tempo que as caixas de madeira, usadas no transporte de frutas e verduras e também como embalagens de vinhos, tornaram-se itens de decoração e utilidade pra ninguém botar defeito. Com os cuidados e acabamentos certos, como lixa e verniz, ela fica nova em folha e traz personalidade ao espaço. Tem até loja que vende prontinha para o uso.

Como a madeira é material nobre, as caixas não são de se jogar fora. Vale a pena resgatar. Você, com certeza, terá ótimos resultados.

Fotos: Reprodução

Estúdio

É engraçado quando nos deparamos com espaços que são a nossa cara. Parece que foram arranjados e decorados pela gente. Fico imaginando como são as pessoas, o que fazem, se a personalidade tem a ver comigo também. Encontrei esta sala/estúdio, e simplesmente me enxerguei ali.

O espaço reúne objetos e móveis antigos junto a aparelhos de última geração. Tem madeira, tons sóbrios e um toque feminino. Tem o verde das plantas e um conjunto de quadros com alinhamento despretensioso.

O estúdio é do fotógrafo Jeremy Harwell.

Fotos: Reprodução

Concreto para decorar

Uma boa ideia essa, para quem busca móveis diferenciados, sob medida. O concreto é resistente e tem alta durabilidade. Pode ser facilmente moldado, dando forma a prateleiras, mesas, bancos. A cor e a textura que ele oferece deixam a casa com um ar mais contemporâneo, mais urbano.

Esta estante parece que, além de abrigar objetos, serve como parede entre as grandes aberturas para o jardim.

A mesa do escritório ficou com um dos lados suspenso.

O sofá tem a base de concreto, e o estofado de comprimento menor deixa uma área livre, que serve de mesa lateral, para apoiar o abajur e os livros.

Neste painel, os blocos de concreto formam vasos suspensos. O toque final ficou por conta da tinta roxa: o painel parece de veludo.

As prateleiras foram aplicadas em uma coluna da casa, com acabamento em X, e tem cada faixa pintada de uma cor vibrante.

Nesta cozinha, prateleiras e balcões, todos de concreto. Adorei o conjunto das cadeiras azuis com as banquetas, em tons diferentes. Todas no estilo pé palito.

Nesta outra cozinha, a bancada é de concreto e o fogão ficou envolvido por esta caixa do mesmo material. Os armários, envolvidos por concreto, são feitos do mesmo material da porta.

Prateleiras na bancada para guardar os eletrodomésticos.

No lavabo, bancada de concreto, ao lado do tanque que serve como pia.

Na sala, a bancada ficou suspensa e teve uma curva moldada. O toque final ficou por conta da mangueira de luz.

Para organizar a montanha de discos do DJ Mau Mau, somente uma grande estante de concreto mesmo.

Aqui, o material está presente na comprida mesa do escritório e na volumosa estante.

Fotos e informações: Revista Casa e Jardim

Sobre revistas e cabides

Minha amiga Sophia enviou esta ideia nota 10 e não pensei duas vezes em mostrá-la aqui na Casa. Decorar paredes de um jeito mais artístico, e ainda somar mais um espaço para guardar revistas, além de poder variar as capas quando quisermos.

Acho que o interessante é pintar os pregos da mesma cor que a parede. E procurar usar cabides com forma e cor diferenciadas, no caso da foto, cromados. Ficou jóia. E o que me dizem das cadeiras brancas, cada uma com um desenho diferente? Adooro.

Foto: Reprodução 

A volta das Samambaias

Dizem que elas estão de volta, as samambaias de metro e toda a trupe de plantas que fizeram sucesso nas décadas de 70 e 80, como a avenca, a renda francesa, a cróton.

E estão mesmo. Muitas foram esquecidas e suas mudas se tornaram difíceis de se encontrar. Agora, com a retomada dessas espécies devido à onda vintage, elas estão com tudo nos projetos de paisagistas, e mostram seu valor – que sempre tiveram.

Sozinhas, protagonistas no cantinho dedicado a elas, ou integrando grandes painéis verdes, elas marcam presença, fazem volume e, dizem os entendidos, como o pessoal do feng shui, mandam as más energias pra bem longe. São ótimas opções de verde para sua casa, não necessitam de muita manutenção e suportam ambientes internos e pouco luminosos.

Os três ambientes foram projetados para a Casa Cor Goiás de 2011.

Aqui, elas ficam suspensas e compoem a varanda junto a outras folhagens em vasos – queria muito usar “folhagem”, quase não se encontra mais essa palavra né.

Ora, se há uma retomada dessas plantas é porque foram esquecidas, e o que a Casa Baunilha quer mostrar é que, independente da moda, adote o que você gosta. Não deixe de lado as folhagens que você curte porque nunca mais ouviu falar delas, ou pior, elas nunca mais apareceram “na mídia”. Pra mim, as samambaias nunca deveriam ter saído do posto de soberanas. Há quem sempre gostou delas, e das violetas, dos cactus, das comigo-ninguém-pode, dos tostãozinhos…

Fotos: Reprodução

Home sweet home office

Vamos combinar, você não precisa necessariamente trabalhar em casa para ter o seu próprio home office. Coisa boa um cantinho para acessar nossos sites preferidos, fazer leituras, estudar e se organizar.

Encontrei alguns ambientes inspiradores, que podem gerar boas ideias (para decorar e para os negócios, captou?).

Para tudo nesta foto: diferentes tons de cinza pintados na parede criam a base para o calendário escrito a giz. Nota 10. Uma decoração mais útil impossível!

Puxa, tô vendo que lá por julho vou ter que arranjar um pelego desses. Está em todas!

 

Bom trabalho gentem!

Fotos: Reprodução

Era uma vez uma fazenda

Fim de ano, tempo de férias, de relaxar e curtir as coisas boas da vida. Nesse clima, a Casa Baunilha viaja para um lugar incrível. É na África do Sul, próximo à Cidade do Cabo, que fica a fazenda e hotel de luxo Babylonstoren. Sua história data de 1652, época da ocupação holandesa, e sua beleza segue preservada até hoje. Quem puder, passa por lá. Eu, por enquanto, vou espiar daqui mesmo a paisagem e os detalhes das construções e da decoração.

Todo mundo tinha que ter um quarto desses! Onde o stress não entra. Sem barulho, sem poluição visual. Você com você mesmo.

Uma ótima opção para um ambiente de refeições de um hotel, ou até mesmo da nossa casa. Mistura de mesas em madeira com cadeiras de acrílico e metal. O menu é escrito na parede, ao lado da grande ilustração, que poderia ser também de verduras e legumes. E por falar nisso, os enfeites de mesa ficam por conta da horta da fazenda. Nos vasos, cenoura e beterraba com folha e tudo!

Dá vontade de sair correndo, largar tudo! Um lugar, realmente, para ficar em paz.

Quem quiser arriscar o inglês e saber mais sobre essa maravilha, entra no site. O Google também pode ajudar a traduzir a página.

Fotos: Babylonstoren